Aproveita-se à excelente reportagem do UOL sobre o Mau Hálito ou Halitose, para se enfatizar que o mau cheiro do Hálito somente é anormal se observada está a boca e estômago sadios. Somente então é necessário o uso do Onlyzzy® para depurar, limpar o sangue de bactérias causadoras de mau cheiro.

FENÔMENO!

Subitamente um fitocêutico descoberto e patenteado por brasileiros tornou-se sensação, O objeto de consumo mais desejado do mundo. No Brasil ele teve seu preço subsidiado pelo Governo Federal, o que o tornou bastante acessível para os bens que ele promove, porém pessoas que realmente necessitam estão ficando sem o produto porque todos, sem exceção querem adquiri-lo.

halitose

Realmente, como mulher, vou assumir que o mesmo é tentador. Assumo até que o comprei, e sei o quanto é difícil me imaginar sem ele. Quem entre nós não gostaria de usufruir de benefícios fantásticos como, ao fumar não ficar com o mal cheiro do cigarro, ao beber não ficar no outro dia com o bafo horrível de bebida, quem tem mau hálito ou Halitose acabar para sempre com este tormento, quem tem um suor com odor mais concentrado, ou axilas que a própria se incomoda, ou mulheres que evitam ter relações sexuais, abem mão de algo fantástico por ter na vagina mau cheiro, ou mau cheiro no orgasmo, no líquido que nos lubrifica para o ato sexual, ou, nós dá o direito de soltarmos nossos PUM sem que o mesma tenha odor podre. É natural quando relaxamos e fazemos exercícios sexuais a descontração muscular e movimentos do intestino, mas quando vem um daqueles, ficamos mortas, envergonhadas. O Homem também passa por isso quando não tem muita intimidade com a mulher.

mau-halitoBem, mas voltando a questão: existem pessoas que possuem liberação de menor quantidade de neutralizadores ou depuradores do sangue, por isso possuem ou produzem odores anormais, com mau cheiro sem que contribua para isso. Essas pessoas merecem ter prioridade ao acesso do Onlyzzy®, um Fitoceutico que possui seus efeitos comprovados cientificamente e que faz o papel de limpar o sangue, de o depurar, contribuindo, inclusive, para tirar a sobre carga dos rins. Realmente é fantástico; porém como dito, foram tirados os impostos sobre os mesmos, e no Brasil seu valor custa 1/3 do valor cobrado no resto do mundo, tornando-o acessível. Como o mesmo não possui efeitos colaterais, muitos o utilizam para não terem flatulências podres mesmo quando fazem uso de alimentação inadequada, ou comem em excesso, cebola, alho, que aumenta a concentração do mau cheiro no sangue. Assim, como dito acima, a reportagem do UOL vem em bom momento, alertando, inclusive, para o fato está na falta de higiene bucal, muitas vezes, no caso do mau hálito ou halitose.

Abaixo a reportagem, seguida do que é VERDADE e do que é MITO, para no fim, você ter informações mais precisas sobre o Onlyzzy. A Reportagem do UOL é de Rosana Faria de Freitas e vem em um excelente momento.

Causas do mau hálito podem estar na boca ou no estômago, não sendo halitose, patológico.

mau-halito (1)Segundo dentistas, é normal ter mau hálito durante algumas horas do dia, porém não permanentemente

Mau hálito é um daqueles assuntos constrangedores que dificilmente vem à tona. Mas, para quem apresenta o distúrbio, o ideal é encará-lo, pois na grande maioria dos casos é possível resolvê-lo com medidas simples.

"A higienização correta pode ser muito eficiente porque em mais de 80% das ocorrências o problema se origina na boca, e não no estômago", afirma Hugo Roberto Lewgoy, mestre e doutor pela Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (FOUSP), professor titular de Clínica Integrada de Atenção Básica e Biomateriais da Uniban.

Segundo o especialista, é normal ter mau hálito durante algumas horas do dia, porém não permanentemente. Quer dizer, tem que saber diferenciar a halitose fisiológica da patológica. A primeira se caracteriza por aquele cheirinho desagradável que quase todos os mortais apresentam quando acordam, relacionado ao metabolismo do corpo humano: ocorre em decorrência de uma leve hipoglicemia noturna (redução da taxa de açúcar) provocada pelo menor fluxo salivar durante o sono, aliada ao aumento da flora bacteriana.

mito

mau-hálito halitose1- Há diferentes tipos de halitose. VERDADE: existe a halitose esporádica ou fisiológica, que aparece em determinado momento do dia (geralmente logo após o despertar); e a crônica ou patológica, que é persistente e pode incomodar bastante. "Cerca de 85% das pessoas têm a primeira e apenas 15% a segunda. Ambas podem ser tratadas: a eventual com medidas simples de higiene e, se for preciso, orientação individualizada; e a constante com tratamento que mostrará resultados entre três e seis semanas", explica o cirurgião-dentista Hugo Roberto Lewgoy Thinkstock

2-A pessoa sofre com mau hálito porque não faz uma higiene adequada. VERDADE: nem sempre, mas em inúmeros casos, o mau hálito tem origem na própria boca, principalmente na região localizada entre os dentes (interdental) e também na língua, que é um músculo revestido por papilas gustativas. Nestes locais, vão se acumulando alimentos e restos de células que descamam do epitélio lingual. Resultado: há proliferação de bactérias e fermentação de resíduos com odor desagradável. "A halitose é quase sempre causada pela ação da flora bacteriana natural sobre os itens que ingerimos. Há mais de 600 tipos de bactérias na cavidade oral, muitas delas capazes de produzir gases com cheiro", salienta o cirurgião-dentista Flávio Luposeli

3- Problemas nas gengivas detonam o cheiro ruim na boca. VERDADE: a prevenção de doenças periodontais, como gengivite e periodontite, é uma das melhores formas de se evitar o mau hálito. Para isso, insiste o dentista Hugo Lewgoy, deve-se usar corretamente a escova interdental. "No espaço entre dois dentes, posicione a escova de forma inclinada em direção à gengiva, junto ao chamado colo do dente. E não é preciso fazer movimentos repetitivos de vai e vem, apenas inserir e remover a peça sem uma escovação forçada. Tudo de forma delicada, com pressão suave. O ideal é fazer isso diariamente. Nos espaços muito apertados, substitua pelo fio dental

4- O mau hálito é proveniente do estômago. MITO: a halitose proveniente do estômago é uma condição rara, embora a maioria das pessoas acredite ter halitose porque sofre com gastrite. "O que ocorre é que os pacientes com gastrite têm uma redução do fluxo salivar e, consequentemente, maior possibilidade de formação da saburra lingual", explica Hugo Lewgoy, acrescentando que o mau hálito de origem estomacal só é comum em episódios como vômito, regurgitação ou arroto

5- Para não ter mau hálito é preciso higienizar os dentes e a língua. VERDADE: a higienização oral não se limita apenas ao hábito de escovar os dentes. "A utilização de escovas interdentais e de raspadores plásticos para a língua são imprescindíveis", insiste Hugo Lewgoy. Os limpadores linguais, por exemplo, precisam ser utilizados diariamente para remoção da saburra: eles podem ser duplos (com duas lâminas) ou simples (com uma lâmina), com a parte ativa mais estreita ou mais larga, com ou sem ranhuras. "É bom frisar que o movimento de limpeza deve seguir da região posterior para a anterior, sem muita pressão para não causar ferimentos. Esta é a ação mais importante e efetiva para combater o mau hálito e as diferenças poderão ser notadas logo após as primeiras aplicações". Apesar de existirem várias causas para o mau odor oral, cerca de 60, acredita-se que 90% dos casos são consequência de restos alimentares "esquecidos" na boca, conforme revela Flávio Luposeli. Para uma higienização mais profunda, a única forma de remover a placa bacteriana e o acúmulo de tártaro é com raspagem e polimento realizado por profissional especializado

6- Para não ter mau hálito é preciso higienizar os dentes e a língua. VERDADE: a higienização oral não se limita apenas ao hábito de escovar os dentes. "A utilização de escovas interdentais e de raspadores plásticos para a língua são imprescindíveis", insiste Hugo Lewgoy. Os limpadores linguais, por exemplo, precisam ser utilizados diariamente para remoção da saburra: eles podem ser duplos (com duas lâminas) ou simples (com uma lâmina), com a parte ativa mais estreita ou mais larga, com ou sem ranhuras. "É bom frisar que o movimento de limpeza deve seguir da região posterior para a anterior, sem muita pressão para não causar ferimentos. Esta é a ação mais importante e efetiva para combater o mau hálito e as diferenças poderão ser notadas logo após as primeiras aplicações". Apesar de existirem várias causas para o mau odor oral, cerca de 60, acredita-se que 90% dos casos são consequência de restos alimentares "esquecidos" na boca, conforme revela Flávio Luposeli. Para uma higienização mais profunda, a única forma de remover a placa bacteriana e o acúmulo de tártaro é com raspagem e polimento realizado por profissional especializado

7-Jejum prolongado altera o hálito. VERDADE: ficar muito tempo sem comer provoca um mecanismo semelhante ao gerado no período de sono. "O corpo precisa produzir energia constantemente e, em períodos de jejum, há pouca glicose disponível como combustível. O organismo passa, então, a queimar gorduras, o que leva à produção de corpos cetônicos, substâncias com odor forte que são eliminadas pelos pulmões", explica Flávio Luposeli. "A privação de comida também aumenta a formação da saburra lingual porque, durante a alimentação, o ato de deglutição e a própria passagem de resíduos pela língua auxiliam na remoção mecânica dessa placa bacteriana

8- Enxaguatório bucal é bom para combater o cheiro ruim na boca. PARCIALMENTE VERDADE: a maioria dos produtos existentes no mercado não tem um efeito positivo sobre o transtorno. "E se o enxaguatório tiver álcool em sua formulação, agravará o problema devido ao ressecamento que provoca, aumentando a descamação celular, diminuindo o fluxo salivar e favorecendo a formação da saburra lingual", adverte Maurício Duarte da Conceição. Entretanto, dependendo da formulação do produto, é possível que tenha propriedades para combater o mau hálito. Mas o uso deve ser bem restrito, e preferencialmente prescrito por um dentista, pois só funcionará em casos específicos

9- O mau hálito é um problema sem cura. MITO: o distúrbio tem tratamento em aproximadamente 100% dos casos. "Porém, é essencial entender que, para não ter mais halitose, o indivíduo terá que adotar novos hábitos de higiene, de alimentação e de vida, para sempre", alega Maurício Duarte. O acompanhamento e a orientação de um cirurgião-dentista especializado não devem ser dispensados. "Em casos mais graves, atingir a cura pode demorar um pouco, porém, sempre existe a possibilidade de controle do problema durante a fase de tratamento. Desde que diagnosticado e cuidado corretamente, ele será totalmente eliminado", garante Hugo Lewgoy. Shutterstock

10- Balas e chicletes disfarçam o distúrbio. MITO: eles mascaram o mau hálito por períodos muito curtos e algumas vezes até agravam o problema. "Por exemplo, produtos que contenham açúcares acabam servindo como fonte de energia para os micro-organismos responsáveis pela halitose", salienta Hugo Lewgoy. A automedicação e o emprego de fórmulas caseiras também devem ser evitados

11- Quem trata a disfunção é o dentista. VERDADE: o diagnóstico deve ser realizado pelo cirurgião-dentista por meio da história clínica do paciente com a aplicação de uma anamnese detalhada, questionário de perguntas, avaliação de sintomas. A investigação inicial inclui o exame detalhado da boca, da língua e da parte dental, em busca de sinais de higienização precária, gengivites e periodontite, além da saburra lingual. Os métodos para o diagnóstico são modernos, com aparelhos que medem desde o fluxo salivar e o hálito até a quantidade de compostos sulfurados voláteis (CSV) na boca. "Em alguns casos, pode ser necessária a intervenção de outros médicos, como otorrinolaringologista, fonoaudiólogo, psiquiatra e psicólogo", diz Maurício Duarte da Conceição

12- Estresse causa o distúrbio. VERDADE: o nervosismo é um dos principais responsáveis pela halitose, pois o fator emocional pode ter relação direta com a diminuição ou até interrupção do fluxo salivar. "A falta de salivação e a boca seca (xerostomia) aumentam a descamação das mucosas, diminuem a autolimpeza da boca e favorecem a halitose pela maior liberação dos compostos sulfurados voláteis", destaca o cirurgião-dentista Hugo Lewgoy. "A atividade das glândulas salivares depende, entre outros fatores, do equilíbrio do sistema nervoso central", completa o dentista Flávio Luposeli, acrescentando que pessoas estressadas em geral têm alimentação desbalanceada e intervalos muito longos entre as refeições, agravando o quadro. "É possível que tais indivíduos sofram, ainda, do que chamamos de antiperistaltismo esofágico: parte da saliva engolida volta para a parte de trás da língua e ali permanece grudada, facilitando a aderência de células mortas e restos alimentares"

13- Há pastas de dente que resolvem o problema. MITO: elas são apenas coadjuvantes na higiene da boca e, da mesma forma que os antissépticos, oferecem uma sensação momentânea de hálito fresco e agradável. Porém, tal efeito se perde em um curto espaço de tempo

14- Se eu sinto gosto ruim na boca, é porque estou com mau hálito. MITO: "Na halitose patológica, normalmente o portador não percebe o problema porque as células olfatórias se adaptam ao odor por tolerância. Quer dizer, em pouco tempo o paciente se acostuma ao próprio mau hálito e não consegue reconhecê-lo sozinho", assegura Hugo Lewgoy, enfatizando que é fundamental procurar um profissional de confiança e falar abertamente sobre a questão

15- A alimentação interfere no odor da boca. VERDADE: o mau hálito pode ocorrer de forma transitória com a ingestão de carnes muito gordurosas, frituras, repolho, brócolis, couve-flor, alho, cebola e pimentas. "No caso do alho, um dos gases produzidos pela digestão é absorvido pela circulação sanguínea, sendo eliminado pelos pulmões. Por isso, após a ingestão, o hálito ruim permanece por horas mesmo após a escovação", explica Flávio Luposeli. "É recomendável dar preferência ao leite desnatado e ao queijo branco ou ricota, evitando-se bebidas alcoólicas e fumo durante o tratamento. E, ainda, ingerir água e carboidratos", completa o dentista Hugo Lewgoy. Refeições ricas em cenoura, maçã e outros itens fibrosos auxiliam na autolimpeza dos dentes e da linha das gengivas

16- A melhor forma de saber se tenho hálito ruim é perguntando a alguém próximo. VERDADE: um parente próximo ou um amigo verdadeiro podem ajudar, revelando o transtorno para quem o tem. "Mas é bom procurar um profissional sério e de confiança, que não dará conotação pejorativa à consulta", aconselha o dentista Hugo Lewgoy. "Vale perguntar para um confidente em diferentes horários ao longo do dia", completa Maurício Duarte da Conceição

17- A falta de saliva na boca é um dos fatores que provocam o problema. VERDADE: a diminuição ou parada total da salivação está diretamente relacionada à existência de halitose. "Nestes casos, será necessário algum tratamento que restabeleça o fluxo salivar e/ou utilização de substâncias lubrificantes que se comportam como uma saliva artificial", diz o cirurgião-dentista Hugo Lewgoy. "O ressecamento bucal pode ser detonado por inúmeros fatores como ronco, respiração bucal, obstrução nasal e estresse excessivo e contínuo. E, ainda, como efeito colateral de remédios do tipo ansiolíticos, antidepressivos, moderadores de apetite, calmantes, anti-hipertensivos e antialérgicos", complementa Flávio Luposeli

18- Há pessoas que sofrem de halitofobia: medo extremo de sofrer de mau hálito. VERDADE: o curioso em relação ao mau hálito é que os portadores não conseguem perceber o odor desagradável que exalam, observa o cirurgião-dentista Hugo Lewgoy. São os outros que notam e ficam constrangidos em avisar ou, em alguns casos, acabam dando alguma conotação pejorativa ao fato. "A falta de cuidado com a higiene oral na idade escolar, aliada ao emprego de apelidos relacionados ao mau hálito, também detonam esta condição de halitofobia". Também pode ocorrer a halitose psicogênica, ou seja, aquela em que o indivíduo acha que tem a disfunção, mas, na realidade, não a apresenta. Em ambos os casos, o acompanhamento psicológico é fundamental

19- O mau hálito pode provocar muitos problemas emocionais. VERDADE: a simples presença de mau hálito, apesar de não ter grandes repercussões clínicas para o indivíduo, pode provocar prejuízos emocionais. Os mais comumente relatados são insegurança ao se aproximar das pessoas, depressão, dificuldade em estabelecer relações amorosas, esfriamento do relacionamento entre o casal, resistência ao sorriso e à gargalhada, ansiedade, baixo desempenho profissional e debilidade da autoestima. O dentista Maurício Duarte conta que mais de 60% dos pacientes que buscam tratamento em sua clínica têm alterações severas de comportamento, com prejuízos para a vida social, profissional e afetiva. "Quanto mais tempo a pessoa sofre com o mal sem encontrar uma solução definitiva, mais estes problemas se agravam. O ideal é que o tratamento contemple a resolução da halitose em si e também a segurança, para que se recupere espontaneidade e naturalidade ao falar, autoconfiança e qualidade de vida"

Agora sim, depois de observado os quesitos acima, se o mau hálito ou halitose persistir, assim como nos casos descritos abaixo, o Onlyzzy® pode, literalmente transformar sua vida, pondo fim naquele receio de exalar mau cheiro. Confira os benefícios do Onlyzzy®.

logo onlyzzy provisoria[5]

Entenda a fundo sobre o Onlyzzy® e seus benefícios ao corpo humano.

Durante anos a Medicina tratou os odores exalados pelo corpo humano como consequência de uma ação ou omissão do indivíduo o quanto à higiene. Quando não, atribuíam a fatores como estomago, no caso da halitose, por exemplo. Milhões de pessoas foram sempre julgadas, maltratadas e humilhadas como se colaborasse para que seu corpo exalasse odores fétidos. Constatou-se, entretanto que essas pessoas possuíam um grau de higiene corporal superior à média da população. Assim, cientistas voltaram à estaca “ZERO” após relatório que não mostrava incidência diretamente proporcional do odor fétido exalado pelo indivíduo que pudesse ser atribuído à alimentação, à determinado perfil de pessoas, em específico. Foi quando no Japão, resolveu-se mostrar e tornar pública a descoberta de que todo odor fétido exalado pelo corpo está na incapacidade de alguns indivíduos em depurar, limpar o sangue. Assim, os que foram rigorosamente monitorados no Hospital dando caráter científico comprobatório tiveram, todos, os problemas resolvidos:

– Haviam pessoas que ao transpirar tornavam o ambiente podre, pois sem corrente de ar, demorava para as centrais de ar limparem o ambiente.

– Mulheres que evitavam se excitar para não se lubrificar, devido ao mau cheiro que transpunha a roupa, passou a não exalar odor algum. Assim como foram também submetidas, com seus respectivos maridos, a manterem relação sexual, atestando elas, e seus esposos, que aquele mau cheiro que dificultava inclusive sua ereção, acabara por completo.

– Pessoas que haviam se submetido aos mais diversos e inimagináveis tratamentos bucais contra a Halitose, sentiram-se um novo ser humano. Segundo eles, apesar de não sentir o mau cheiro, era facilmente constatável um gesto de repugnância de uma outra pessoa quando abriam a boca.

– Assim se deu com o Xulé…

– Com as pessoas que tinham axilas capazes de deixar qualquer um entorpecido.

– A flatulência (pum)- Haviam pessoas que eram vegetarianas e seus puns eram de um poder fétido, inigualável. Essas pessoas passaram a soltar puns sem mau cheiro algum. Pare brincadeira, mas determinada mulher, há mais de 5 anos não mantinha relações sexuais, desde que no momento da relação liberou gases que fez seu parceiro saltar de cima como atingido por um tiro (narrou ela), mas o pior é que se fosse o inverso, ela teria feito o mesmo, afirma.

Mas quanto aos seus benefícios, não param por aí. Mesmo odores inalados artificialmente, de substâncias tóxicas como fumo e seus derivados, álcool, o odor produzido por eles, aquela coisa que parecia impregnar o corpo, desaparece por completo.

Para os cientistas o melhor foram outros resultados que ele propiciou, como a melhora imediata da função renal, melhora no combate ao câncer de colo, arma eficaz contra asma e a febre do feno, além de ser o maior oxidante, ou seja, produto que combate os radicais livres, responsáveis, inclusive, pelo envelhecimento. Abaixo tem a lista com os benefícios.

Onlyzzy® é um alimento funcional extraído do cogumelo branco da espécie Agaricus bisporus BX-100 originário do Japão, onde através de uma técnica de fabricação em um método patenteado são cultivados os cogumelos brancos em estufas próprias e obtido dos seus ativos o tipo BX-100 de Agaricus bisporus (Onlyzzy®).

A sua eficácia está documentada em vários estudos:

► Onlyzzy® é muito mais eficaz do que o extrato de sementes de salsa contra o mau hálito. É eficaz contra o hálito fétido e os odores corporais que resultam do consumo de alho (93% de eficácia comprovada), de cebolas, de peixe, de tabaco e de álcool.

► Após 30 dias de administração de suplemento a pacientes incontinentes hospitalizados, no Japão, os odores corporais e o mau hálito desapareceram por completo e os odores urinários e fecais diminuíram significamente. Para os cientistas que realizaram estes estudos, a toma do suplemento Onlyzzy®vai muito para além do efeito desodorizante, dado que os compostos tóxicos que ele neutraliza provocam náuseas, vómitos, espasmos e cianoses. Quando são reabsorvidos pela parede intestinal, estas substâncias contribuem para a carcinogêneas do cólon, distúrbios hepáticos e aceleram o envelhecimento.

Desta forma, Onlyzzy®

► melhora o estado dos sujeitos obstipados ou com diarreia em 10 dias;

► melhora significativamente o estado intestinal de 80% dos sujeitos em 30 dias;

► aumenta em 150% a população intestinal de bifidobactérias e reduz em 50% a população de Clostridia (dois efeitos benéficos);

► purifica o sangue reduzindo para metade o seu teor de amoníaco em 30 dias;

► melhora significativamente a atividade das Natural Killer Cells, um elemento-chave do
sistema imunitário, e reforça-o eliminando os compostos tóxicos produzidos nos intestinos;

► reduz significativamente a proliferação da bactéria Helicobacter pylori;

► trava a progressão da insuficiência renal e mantém normais os níveis de creatinina; reduz os níveis de ácido úrico e reduz a dor associada às crises de gota;

► reduz a produção de leucotrienos (agentes alergizantes implicados nas crises de asma e de febre dos fenos);

é um antioxidante potente, eficaz contrários radicais livres.

Informações sobre o Onlyzzy®

onlyzzy@uol.com.br

onlyzzy@outlook.com

logo-lyzzy-nova

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s